O Batismo
A purificação dos nossos pecados





    Capítulo 7
181

Capítulo 7


    Neste estudo, nós aprendemos a enorme importância de certificar-nos que a nossa salvação é a obra exclusiva de Deus. Nós devemos saber que não podemos dar a menor contribuição para a nossa salvação.
    Tendo aprendido isso, resta-nos uma dúvida. Existe uma ênfase da Bíblia que parece ligar um esforço de nossa parte à obra de Cristo em salvar-nos. Essa é a linguagem da Bíblia que fala de nossa fé.
    Um exemplo excelente disto é oferecido por Lucas 7:36-50. O incidente é a visita de Jesus à casa de um fariseu chamado Simon. Enquanto lá, uma mulher muito pecadora lavou os pés de Jesus com suas lágrimas, enxugou-os com seu o seu cabelo, e untou-os com ungüento. Simon protestou junto a Jesus sobre permitir tal coisa. Jesus então disse em Lucas 7:47-48:

Por isso te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama. E disse-lhe a ela: Os teus pecados te são perdoados.


    A declaração que seus pecados estavam perdoados significou que ela fora salva. O resultado de ter sido salva é que os seus pecados tinha sido pagos por Ele, então, eles estão perdoados. É a afirmação próxima, porém, que traz grande dificuldade de entendimento. Em Lucas 7:50 nós lemos:

E disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz.


A fé é um trabalho

    A tua fé te salvou! Como isto pode ser? O problema que estamos a enfrentar é muito sério, pois ao continuarmos o nosso estudo, descobriremos que a Bíblia ensina que a fé é um trabalho. Nós poderíamos ficar surpresos com essa verdade, mas há uma verdade mais importante. Só quando entendermos isso poderemos chegar a uma compreensão concernente ao assunto da fé relacionada à

    Capítulo 7
182

salvação.
    A palavra “fé” ou a palavra “acreditar”, que significam, simplesmente, “ter fé” é entendida em muitos modos diferentes. De fato, ter fé ou crer é uma característica muito comum da humanidade. À noite, nós temos fé que em algumas horas veremos novamente a luz do dia. Nós podemos ter fé que se nos exercitarmos ou tomarmos vitaminas, a nossa saúde melhorará. Nós temos fé que o estio virá depois do inverno, e depois a primavera. Nós temos fé naqueles que ensinam que, espiritualmente, o evangelho ou a religião é uma coisa boa para nós. Toda ação que nós realizamos envolve um exercício de fé. Nós cremos, porque a experiência passada mostrou as coisas nas quais acreditamos e realizamos no passado e, então, logicamente deviam assegurar a verdade para o futuro.


Nós estamos muito interessados nessas palavras, pois elas estão inseridas no centro do plano de salvação de Deus.



    Neste estudo, nós não estamos interessados em filosofar sobre a natureza ou o significado de fé, como constantemente é demonstrado em nossas vidas. Nosso interesse está na compreensão bíblica dessas palavras pois elas estão inseridas no centro do plano de salvação de Deus. Quando a Bíblia usar tais palavras como "fé" ou "acreditar” nós devemos saber o que Deus quer dizer com elas, para mais adiante, entendermos como aplicá-las àqueles que foram salvos.

Quatro passagens que definem a fé

    Quando nós procuramos na Bíblia, achamos três passagens muito significativas que nos ajudam definir fé. A primeira é encontrada em Hebreus 11:1, onde nós lemos:

Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.

    Capítulo 7
183

    Esse é um versículo surpreendente que nos conta que a fé tem conteúdo. Assim, anteriormente em nosso estudo, vimos que existe uma grande diferença entre o que tem significado e que o que é um sinal ou uma sombra. Um sinal ou uns pontos de sombra é uma reflexão do que tem conteúdo. Em relação a nossa salvação a única atividade que substantiva era a atividade apresentada pelo Senhor Jesus Cristo. Qualquer atividade que fizermos estando batizados na água não teve nenhuma substância. Era uma sombra que apontava esperançosamente para o fato que a pessoa batizada já tinha seus pecados lavados há mais tempo ou aquele em algum dia no futuro ele poderia ter seus pecados purificados.
    Então, quando a Bíblia declara ser aquela fé o conteúdo de vários acontecimentos, significa que algo pode ser identificado como qualquer esforço de nossa parte para ser salvo.


Quando a Bíblia declara ser aquela fé o conteúdo de vários acontecimentos, significa que algo pode ser identificado como qualquer esforço de nossa parte para ser salvo.



    Em outro plano, este versículo indica que a fé é evidência. Isto é, é prova de algo que nós podemos ver.
    Que nós podemos ver a nossa salvação. Nós podemos ver o Deus Espírito Santo que habita em nós quando nós somos salvos. Nós podemos ver o trabalho de Deus em nos preparar para a salvação. Nós podemos ver nossas novas almas ressuscitadas. Nós podemos ver a realidade do fato que todos os nossos pecados foram purificados. Nós podemos ver o fato maravilhoso que nós temos vida eterna.
    Quando a fé aparece em nossa vida, ela é evidência ou prova que essas coisas estão acontecendo ou aconteceram em nossa vida. Deste modo, como se lê em Hebreus 11:1, nós devíamos começar a perceber que qualquer fé vista em nossa vida não está de qualquer forma causando, ou servindo como um meio ou base para a nossa

    Capítulo 7
184

salvação.
    Adicionalmente, existe uma declaração surpreendente relativa a fé dada pela Bíblia. Em João 6:28-29 nós lemos:

Disseram-lhe pois: Que faremos, para executarmos as obras de Deus? Jesus respondeu, e disse-lhes: A obra de Deus é esta: que creiais naquele que ele enviou.


    Os fariseus perguntavam o que eles podiam fazer agradar a Deus. Jesus dá a eles uma resposta espantosa que, por sua vez define o significado e a natureza de fé como Deus ensina na Bíblia. Jesus declara que deve-se acreditar na obra de Deus (isto é, ter fé) no Senhor Jesus Cristo. Deste modo, Deus ensina que a fé é um trabalho. Em primeiro lugar, é um trabalho que Deus apresenta enquanto Ele nos faz ter fé nele. Mais tarde, nós desenvolveremos este princípio em detalhes.
    É um trabalho que nós também fazemos, ao nos tornarmos cristãos. Um versículo similar que pode nos ajudar a entender isso é Filipenses 2:13:
    Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.
    Observe a semelhança:

João 6:28-29
A obra de Deus é esta:
que creiais naquele que ele
enviou.
Filipenses 2:13
Porque Deus é o que opera em
vós tanto o querer como o
efetuar, segundo a sua boa
vontade.

    O que somos é o resultado da obra de Deus em nós. Por acreditarmos em Cristo, nós fazemos muito porque Deus está trabalhando em nossa vida não para o Seu prazer, mas porque somos a Sua obra. Portanto, a fé é um trabalho visível em nossa vida como a evidência de Deus que trabalha dentro de nós. Nós vimos que a fé é o conteúdo dos acontecimentos, a evidência de coisas invisíveis.
    Nós também devíamos examinar um terceiro princípio, que nos

    Capítulo 7
185

ajuda a entender a natureza da fé. Em Tiago 2:17-18, nós lemos:

Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma. Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras: mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.



Portanto, a fé é uma obra visível em nossa vida como a prova de que Deus trabalha dentro de nós.



    A frase "... a fé é uma obra visível em nossa vida como a prova de que Deus trabalha dentro de nós” é tão importante que é repetida em Tiago 2:17, Tiago 2:20, e em Tiago 2:26. Esses versículos indicam uma intimidade notável entre fé e obra. Eles são tão firmemente conectados que a fé pode existir sem a obra. Deste modo, nós podemos separar a fé da obra. Isso concorda completamente com João 6:28-29 que indica que ter fé ou crer é uma obra.
    De fato, Tiago 2:22 salienta ainda mais a questão:

Bem vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada.


    A palavra "cooperar" é a palavra "obra". Deste modo, este versículo afirma, claramente, a “fé na obra”. Deste modo, nós entendemos, sem dúvida, que a Bíblia defina a fé como uma obra.
    Uma quarta afirmação de que a fé é um trabalho é visível na declaração clara de I Tessalonicenses 1:3, onde nós lemos:

Lembrando-nos sem cessar da obra da vossa fé, do trabalho da caridade, e da paciência da esperança em nosso Senhor Jesus Cristo, diante de nosso Deus e Pai.


    Sem dúvida, nós devemos entender aquela fé como um trabalho.

    Capítulo 7
186

    Este sublinha o fato que qualquer fé ou convicção em Cristo que se desenvolve em nossa vida podem ser a base ou significar instrumento pelo qual ou por causa de que nós somos salvos. Em nosso estudo, nós vimos repetidamente que nós nunca devíamos encarar a idéia que qualquer esforço de nossa parte contribuiu para a nossa salvação.

Todos os que acreditam em Cristo serão salvos?

    Tendo aprendido como Deus define a palavra “fé” ou a palavra "acreditar", que são equivalentes a "ter fé", o que faremos com o grande número de versículos que parecem ensinar que nossa convicção em Cristo é o meio pelos quais Deus trabalha para nos salvar? A seguir, alguns dos versículos que, aparentemente, sustentam essa idéia.

Marcos 16:16: Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.

João 3:16: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

João 3:18: Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado; porquanto não crê no nome do Unigênito Filho de Deus.

João 3:36: Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece.

João 6:40: Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.

João 11:25: Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá.

    Capítulo 7
187

Atos 13:39: E de tudo o que, pela lei de Moisés, não pudestes ser justificados, por ele é justificado todo aquele que crê.

Atos 16:31: E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa.

Romanos 10:9: A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo.

I Coríntios 1:21: Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação.


    Ao examinarmos esses versículos, vamos relacionar novamente os princípios que nós aprendemos estarem relacionados ao plano de salvação de Deus.
    1. O princípio mais importante é o fato que sob nenhuma circunstância são nós para semblante até a idéia mais minúscula que qualquer coisa que tenhamos feito, por pequeno e insignificante que possa parecer, tenha contribuído para a nossa salvação. Assim como Lázaro (João 11) foi da morte física até a vida eterna sem a mais leve contribuição de sua parte, então nós somos criados da morte espiritual até vida espiritual sem a mais leve contribuição de nossa parte. Não existe absolutamente nenhuma pré-condição que deve primeiro existir na vida de alguém que Deus planeja salvar.
    2. A fé ou a crença em Cristo, de alguma maneira, é intimamente uma parte de nossa salvação.
    3. Nossa fé ou credo em Cristo é, pela definição da Bíblia, uma obra que nós realizamos e, portanto, nunca podemos em qualquer sentido ser a base ou o instrumento que ajuda a realizar a nossa salvação ou porque nossa salvação é realizada.
    4. Quando o nosso Pai divino começar a preparar uma pessoa para o Cristo Salvador, a fé, junto com outros bons trabalhos, será produzida na vida de quem está sendo preparado.
    5. Quando uma pessoa é salva, o Espírito Santo produz o trabalho de fé junto com outras boas obras na vida do cristão.

    Capítulo 7
188


O princípio mais importante é o fato que sob nenhuma circunstância são nós para semblante até a idéia mais minúscula que qualquer coisa que tenhamos feito, por pequeno e insignificante que possa parecer, tenha contribuído para a nossa salvação.



    Tendo partido desses princípios, como podemos entender João 3:16: “para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha uma vida eterna”? Nós prontamente podemos entender isso se percebermos que Deus dá o desejo para fazermos boas obras, o temor a Deus, e a confiança em Deus para aqueles a quem Ele está planejando salvar, como também para aqueles que foram salvos.
    Deus, porém, não utiliza essas características, que freqüentemente se identificam com a salvação, como integrantes da ação exigida por Ele para nos salvar. A ação de Deus em salvar-nos depende exclusivamente Dele. Quando Jesus ordenou: "Lázaro, sai para fora" (João 11:43), Lázaro saiu para fora. Não faz sentido ele ter feito o menor esforço para, de um cadáver fedorento, sair vivo, obediente, da tumba. Quando Jesus ordenou a Lázaro que saísse, teve que fazer tudo para o habilitar a obedecer àquela ordem. Isso inclui ter-lhe dado a vida física, ouvidos para ouvir e habilita-lo a obedecer. Lázaro não ofereceu absolutamente nada para que isso acontecesse.
    Igualmente, quando a Bíblia declara que nós somos para crer de forma que nós poderíamos ser salvos ou de forma que poderíamos ser justificados, quatro coisas devem ser percebidas. A primeira é que qualquer crença que se torne presente na vida da pessoa é colocada lá completamente pela ação de Deus. Segundo, acreditar que não contribui em nada para a salvação. Em terceiro lugar, o ato de salvar é, absolutamente, obra de Deus, exceto quando Deus concede a crença. Deste modo, um bebê pode ser salvo no nascimento, ou uma pessoa, com uma mente de um bebê pode ser salva. Não existe absolutamente nenhuma pré-condição para Deus nos salvar. Em quarto lugar, se uma pessoa foi salva, acreditar será

    Capítulo 7
189

uma evidência em sua vida se ele tem as faculdades mentais e físicas para mostrar a sua convicção. O trabalho de fé visível na vida do cristão é igual a todas as outras boas obras visíveis em sua vida.
    Isso pode ser observado quando a Bíblia, ao se referir a trabalhos, está falando sobre qualquer atividade, que é uma tentativa para fazer a vontade de Deus. Este trabalho individual pode ser uma tentativa para obedecer a Deus ou conseguir direitos junto a Deus estritamente por seus próprios esforços. Ou, o trabalho pode ser o esforço que é produzido e está presente na vida da pessoa pela ação de Deus. Quando usamos a frase "bons trabalhos", nós estamos falando sobre a obediência individual produzida pela ação de Deus. Então, nós claramente podemos entender que, acreditar em Cristo nunca pode ser considerado a base, ou significa os termos pelos quais fomos salvos.
    Tendo dito isso, nós estamos diante de aparente contradição na Bíblia. Por um lado, Deus insiste que a fé é um trabalho, e por outro lado, Ele insiste que nossa salvação não depende de obras (Efésios 2:9). Ainda em Lucas 7:50, a Bíblia ensina: “a tua fé te salvou”. Como pode este impasse ser resolvido?

Cristo é a nossa fé

    Uma boa solução pode ser encontrada, como a que apresentamos agora. Na Bíblia, Jesus deu a Ele mesmo muitos nomes: Jesus, a Palavra de Deus, David, Jacob, Israel, Deus Maravilhoso, Deus Poderoso, o Príncipe da Paz, etc. Cada um desses nomes nos ajuda a entender algo sobre o personagem e a obra de Cristo. Um nome que Jesus deu a si mesmo foi Fiel e Verdadeiro. Nós lemos em Apocalipse 19:11:

E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça.


    A palavra fiel, como a palavra verdade, é um adjetivo. A palavra fé, como a palavra verdade, é um substantivo. Se uma palavra é um adjetivo ou um substantivo, é a mesma palavra. Deste modo, Jesus

    Capítulo 7
190

chamou a Sua verdade de nome (um adjetivo) e reforçou isto declarando: "Eu sou a verdade" (um substantivo) (João 14:6).
    Enquanto a Bíblia não nos oferece a declaração "Eu sou a fé", dá a nós Seu nome como "fiel e verdadeiro". Isto é visto na Segunda Epístola aos Tessalonicenses 3:3, onde nós lemos: "O Senhor é fiel". A Bíblia dá a nós exemplos numerosos que podem ser mais totalmente compreendidos somente quando nós percebermos que o nome Fiel usado por Cristo significa que Ele é visível na fé quando for relacionado à salvação.
    O capítulo 11, versículo 1, da Epístola aos Hebreus, declara: "... a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam...". Cristo é o fundamento, a realidade, a prova de tudo que se espera em relação à salvação. Ele é o fundamento para todos os sinais e sombras apontados no Velho Testamento. Lembremo-nos que nós aprendemos ser a fé um trabalho à parte de qualquer outro. Cristo, por Sua fidelidade, fez todo o trabalho exigido para nos salvar, portanto Ele é a evidência da realidade de nossa salvação, pela qual esperamos.


É a fé de Cristo, e Ele é a essência da fé, por isso se ofereceu para nos salvar.



    É a fé de Cristo, e Ele é a essência da fé, por isso se ofereceu para nos salvar. Por isso, lemos em Gálatas 2:16 sobre a fé de Cristo.

Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé de Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.


    Em quase todas as traduções, as preposições nesse versículo foram modificadas de forma que ele não é não é mais fiel para no grego original. Maravilhosamente, na tradução do Rei James as preposições têm sido fielmente traduzidas.

    Capítulo 7
191

    A frase "... temos também crido em Jesus Cristo", afirma "mesmo que tenhamos sido salvos". Mesmo que seja somente uma pessoa que tenha fé em Cristo é um que foi salvo. Para ser salvo significa que nós temos sido justificados. Então, esse versículo ensina que fomos salvos pela fé em Jesus Cristo.
    A verdade relativa à fé de Cristo também está sublinhada em Gálatas 2:20:

Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.


    Além disso, em Habacuque 2:4 nós lemos:

Eis que a sua alma se incha, não é reta nele; mas o justo pela sua fé viverá..


    A fé que vivemos é a fé de Cristo. Não é a nossa fé. É a Sua fé. Quando Deus afirma em Habacuque 2:4, em Romanos 1:17, Gálatas 3:11, e Hebreus 10:38, "o justo viverá da fé", nós podemos obter mais entendimento se percebermos que a palavra fé é um sinônimo ou nome para Cristo. É um nome de Cristo como a palavra verdade, ou a Palavra de Deus são sinônimos ou nomes de Cristo. Deste modo, por esta frase nós podemos entender "o justo pela sua fé viverá" a fé de Cristo ou por Cristo, desde que Ele é a essência da fé.
    Romanos 1:17 afirma claramente:

Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: mas o justo viverá da fé.


    A retidão de Deus é revelada pela fé (Cristo e Sua fidelidade), na fé (nossa fé) que é produzida por salvação. A prova de nossa salvação é a obra de fé junto com os outros bons trabalhos que são visíveis em nossas vidas. Lembre-se que a fé é um trabalho e bons trabalhos (obediência às ordens) são a evidência da salvação. Deste

    Capítulo 7
192

modo, a fé ou o fato que nós viemos para acreditar na salvação. Deste modo, a fé ou o fato que nós viemos para acreditar sou esperados ser uma característica da pessoa que foi salva. É um trabalho junto com todos os bons trabalhos que serão visíveis na vida de ninguém e todo mundo que foi salvo, mas pode ser a nossa fé que nos salva. Pode ser só a fé de Cristo.


A evidência de nossa salvação é o trabalho de fé junto com os outros bons trabalhos que são visíveis em nossas vidas.



    Como entender a frase "a fé de Cristo?". Nós prontamente falamos da fé do cristão, mas como a Bíblia fala da fé de Cristo? De fato, esse é um ensino principal e maravilhoso da Bíblia. Nós começamos a entender isso ao refletirmos sobre a enorme tarefa que Jesus teve que desenvolver a fim de nos salvar. A partir da criação do mundo, Deus escolheu algumas pessoas para salvar. Ao criar o homem à Sua semelhança, Deus sabia que ele se rebelaria, submetendo-se à danação eterna. Deste modo, o único modo de conquistar as pessoas foi exigir que a punição para o pecado da humanidade fosse paga. A menos que a punição tivesse sido completamente paga, nenhum ser humano poderia entrar no céu.
    Então, Deus designou Jesus para ser a pessoa que pagaria pelos pecados de todo aqueles escolhidos por Ele mesmo. Isto significou que Jesus teve que se humilhar Ao assumir a natureza humana, Ele teve que carregar os pecados de todos aqueles a quem veio para salvar, e teve que sofrer o equivalente à danação eterna em nome de cada um que Ele veio para salvar.
    Em alguns dos Salmos Messiânicos nós vemos a fé de Cristo e como Ele se relaciona à tarefa incrível atribuída a Ele como o nosso Salvador. Nós não encontramos a frase "a fé de Cristo", mas nós o descobrimos chorando para Deus a quem dedicava a Sua confiança. A palavra hebréia traduzida como “confiança" em nossa Bíblia inglesa é a palavra chasah. Ela é, verdadeiramente, um sinônimo para a palavra “fé” é encontrada em Salmos 37:39-40, onde nós

    Capítulo 7
193

lemos:

Mas a salvação dos justos vem do Senhor; ele é a sua fortaleza no tempo da angústia. E o Senhor os ajudará e os livrará; ele os livrará dos ímpios e os salvará, porquanto confiam [chasah] nele.


    Este trecho, como muitas afirmações do Novo Testamento, está falando, claramente, de salvação. Assim, a frase "porque eles confiam nele" pode igualmente ser escrita como "porque eles tiveram fé nele".
    A mesma palavra, chasah, é usada no Salmo Messiânico 31, que antecipa o sofrimento de Cristo. Fala da agonia e como Ele suportou a ira de Deus para nossos pecados. O versículo 5 cita o apelo de Jesus na cruz: “Nas tuas mãos encomendo o meu espírito”. No versículo 1 deste Salmo, Jesus declara: “Em ti, Senhor, confio”. Seguramente a Bíblia ensina que Cristo teve fé em Deus ao sentir que a expiação seria realizada.
    De modo semelhante, nós lemos no Salmo Messiânico 16:10:

Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.


    Este salmo começa com as palavras “Guarda-me, Ó Deus, porque em ti confio (chasah). Novamente, a Bíblia nos ensina que Cristo confia que Ele não permanecerá sob a ira de Deus, uma vez que Ele pagou completamente a pena por nossos pecados. Ele também confiou que o Seu corpo não seria degradado. Como nós aprendemos mais cedo neste estudo, o fato de Seu corpo não sofrer degradação é a evidência que a penalidade tinha sido completamente paga”.
    Nessa incrível tarefa, Jesus foi fiel. Porque Ele é a essência da fé, a quintessência de quem cumpre a tarefa a Ele determinada, a salvação se torna uma realidade para todos aqueles que Ele veio para salvar. Deste modo, a Bíblia reitera repetidamente que a base, a causa, o instrumento, o tudo de nossa salvação é Cristo e Sua fé maravilhosa, o nosso Salvador, estaria com o sucesso completo.

    Capítulo 7
194

Não é de se admirar, portanto, que em Apocalipse 19 Ele recebe o nome de Fiel.
    Pensando nisso, nós podemos agora entender completamente muitos versículos que falam da fé com relação a Cristo e à salvação que Ele, fielmente, nos oferece. À medida que continuamos o nosso estudo, examinaremos muitos desses versículos.
    A fé de Deus, que é a base da nossa salvação, está expressa em Romanos 3:3:

Pois quê? Se alguns foram incrédulos, a sua incredulidade aniquilará a fidelidade de Deus?


    Em Romanos 3:22, lê-se:

Isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença.



Deste modo, a fé ou o fato de acreditar em alguma coisa é uma característica da pessoa que foi salva. É uma obra ao lado de todas as boas obras que serão visíveis na vida de alguém e de todo mundo que foi salvo.



    Aqueles que crêem, isto é, que tenham fé, são salvos por causa da fé em Cristo que, por sua vez, é comprovada pelas boas obras, que inclui a fé visível da vida da pessoa que foi salva.
    Romanos 3:26 chama atenção para esse assunto, afirmando:

Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.


    Esse versículo foi traduzido impropriamente pela Bíblia do Rei James. Mais corretamente, declara: "que nós podemos ser justos, e justificados fora da fé de Jesus". Esse versículo mostra, também,

    Capítulo 7
195

claramente, que a fé que nos salvou e, conseqüentemente, nos tornou justos, não é a nossa fé. Ela só pode ser a feita de Cristo.
    Deste modo, nós podemos entender mais claramente o capítulo 3, versículos 3 e 30, da Epístola aos Romanos:

Romanos 3:28: Concluímos pois que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei. Romanos 3:30: Se Deus é um só, que justifica pela fé a circuncisão, e por meio da fé a incircuncisão.



A fé pela qual ambos, judeus e gentios, foram salvos ou justificados era a fé de Cristo ou, poderíamos dizer, pelo próprio Cristo.



    A fé pela qual ambos, judeus e gentios, foram salvos ou justificados era a fé de Cristo ou, poderíamos dizer, pelo próprio Cristo.
    Agora, entendemos o capítulo 4, versículo 3, da Epístola aos Romanos:

Pois, que diz a Escritura? Creu Abraão a Deus, e isso lhe foi imputado como justiça.


    Abraão tinha fé (por causa de Deus), mas não era a sua fé aumentava a sua honra. Isso significaria que ele realizou uma obra para salvar-se a si mesmo. Ao invés disso, quando disse “contava com a sua justiça (Abraão)”, entendemos que Deus contava com a justiça de Abraão.
    Romanos 4:5 continua:

Mas àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça.

    Capítulo 7
196

    Este versículo, então, ensina que para a pessoa que crê (tem fé) nele (Cristo) que justifica o ímpio, isto é, que foi salvo, sua fé (fé de Cristo) é contada para a justiça.
    Na Epístola aos Romanos, capítulo 4, versículo 13, lê-se:

Porque a promessa de que havia de ser herdeiro do mundo não foi feita pela lei a Abraão, ou à sua posteridade, mas pela justiça da fé.


    A retidão da fé é a retidão de Cristo. É por isso que o versículo 16 continua a dizer:

Portanto é pela fé, para que seja segundo a graça, a fim de que a promessa seja firme a toda a posteridade, não somente à que é da lei, mas também à que é da fé de Abraão, o qual é pai de todos nós.


    Por Cristo e a Sua fé estarem completamente identificados com a fé que só pode produzir a salvação, nós poderíamos parafrasear esse versículo para dizer: "Então é da fé (Cristo ou a fé de Cristo) que poderia ser da graça... mas por aquele também que é da fé (Cristo) de Abraão".
    A Epístola aos Romanos, capítulo 4, versículo 20 continua:

E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus.


    Abraão era forte na fé. Literalmente, esta frase é "mas era feita forte pela fé". A fé que o fez forte era a fé de Cristo ou o próprio Cristo. O versículo 22 sublinha isto:

Pelo que isso lhe foi também imputado como justiça.



Nós devemos entender que era a fé de Cristo ou o próprio Cristo que era atribuído à justiça de Abraão.



    Como nós já aprendemos, nós devemos entender que a fé de

    Capítulo 7
197

Cristo ou Cristo Ele mesmo era atribuído a Abraão por sua justiça. Os versos 23 e 24 continuam:

Ora não só por causa dele está escrito, que lhe fosse tomado em conta. Mas também por nós, a quem será tomado em conta, os que cremos naquele que dos mortos ressuscitou a Jesus nosso Senhor.


    Nós poderíamos parafrasear esses versículos da seguinte maneira:
“Agora as promessas de Deus não eram escritas por sua (Do Abraão) causa, só que a fé de Cristo era atribuída a ele; mas para nós também, para quem a fé de Cristo deve ser imputada, se nós fosse dada a fé (como resultado da nossa salvação) confiar em Deus que elevou Jesus acima dos mortos”.
    Nós podemos perceber mais claramente a rica afirmação na Epístola aos Romanos, capítulo 5, versículos 1 e 2:

Sendo pois justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo. Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.


    Nós somos justificados pela fé de Cristo ou pelo próprio Cristo e por Ele nós temos acesso a Cristo ou a fé de Cristo nesta graça na qual permanecemos.
    Além disso, a Epístola aos Gálatas capítulo 3, versículos 1 e 2 declara:

Ó insensatos gálatas! Quem vos fascinou para não obedecerdes à verdade, a vós, perante os olhos de quem Jesus Cristo foi já representado como crucificado? Só quisera saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé?


    A frase "uma pregação da fé" pode estar corretamente entendida quando nós substituímos a palavra Cristo pela palavra fé. O versículo 1 ensina que Jesus Cristo foi colocado antes delas. Ele, então, está completamente visível. Ele pode ser ouvido somente por aqueles a quem foram dadas ouvidos espirituais. Se alguém recebesse ouvidos

    Capítulo 7
198

espirituais, Deus, então, usaria a sua audição para realizar as obras de salvação daquela pessoa.
    Assim, o versículo 2 indica que nós somos salvos por ouvir falar de Cristo. Isto é, Deus deu ouvidos espirituais àqueles que ele veio salvar, de forma que eles ouçam que Cristo é o único caminho para a salvação.
    A Epístola aos Gálatas, capítulo 3, versículo 5 reforça este princípio:

Aquele pois que vos dá o Espírito, e que obra maravilhas entre vós, fá-lo pelas obras da lei, ou pela pregação da fé?


    Deus nos salva por trabalhos da lei que nós apresentamos? Isto é impossível. Nossa salvação não vem por trabalhos da lei, mas de Cristo, a quem nós ouvimos porque Deus deu a nós ouvidos espirituais para ouví-lo. Em outras palavras, Cristo cujo nome é Fiel ,porque Ele é a essência de fé, é a única base ou a causa da nossa salvação. Assim, a Epístola aos Gálatas 3:6 continua a dizer:

Assim como Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça.


    Como nós aprendemos anteriormente, era Deus ou a fé de Cristo que era considerada a justiça para Abraão. Assim, entendemos a precisão da Epístola aos Gálatas 3:2 e 3:5. Só ouvimos a Cristo porque Deus nos deu ouvidos espirituais. Romanos 10:17 afirma: "a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus". Cristo é a pessoa que entrou em nossa vida para nos salvar, e nós ouvimos falar dele porque Ele nos deu ouvidos espirituais para ouvir o manifesto de Cristo, que é a Palavra de Deus.
    Gálatas 3:7-9 continua a usar a fé como um sinônimo ou nome para Cristo, à medida que declara:

Sabei pois que os que são da fé são filhos de Abraão. Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Todas as nações serão benditas em ti. De sorte que os que são da fé são benditos com o crente Abraão.

    Capítulo 7
199

Novamente, devemos lembrar que a palavra fé é usada em relação a nossa salvação, a fé de Jesus ou o próprio Jesus (que é a essência da fé) e é visível.



    Assim, o versículo 26 ensina que o batizado é uma criança de Deus pela fé (Cristo) e está agora em Cristo. Ele foi batizado em Cristo e se revestiu de Cristo. Lembre que ser batizado em Cristo quer dizer que quando Cristo foi purificado de nossos pecados e sendo castigado por causa deles, era como se nós estivéssemos lá com Ele sendo purificados de nossos pecados. A mesma linguagem é compartilhado na Segunda Epístola a Timóteo, no capítulo 3, versículo 15, que afirma:

E que desde a tua meninice sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus.


    Nós somos sábios até salvação pela fé de Jesus que é encontrada em Cristo Jesus. O princípio que cada aspecto de nossa salvação vem da fé de Cristo e Cristo também está enfatizado em Filipenses 3:9:

E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé.


    Este princípio dá a nós compreensão adicional da afirmação sucinta dada na Epístola aos Efésios, no capítulo 2, versículo 8:

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus.


    A obra de fé que produziu a graça salvadora pode ser só a fé de Cristo que é personificado por Ele mesmo. Ele próprio, a Sua salvação, é um presente dado a nós, pois Cristo era fiel. Isso concorda perfeitamente com os dois versos seguintes:

    Capítulo 7
200

    Efésios 2:9-10:

Não vem das obras, para que ninguém se glorie. Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.


    Colossenses 1:23 fala de fé usando a seguinte linguagem:

Se, na verdade, permanecerdes fundados e firmes na fé, e não vos moverdes da esperança do evangelho que tendes ouvido, o qual foi pregado a toda a criatura que há debaixo do céu, e do qual eu, Paulo, estou feito ministro.


    Novamente, nós podemos entender esse versículo muito mais facilmente se entendermos a palavra fé para ser a fé de Cristo ou o próprio Cristo.
    Isto também é verdadeiro em 1 Timóteo 3:9, que fala "guardando o mistério da fé em uma pura consciência". O "mistério da fé" é o mistério de Cristo, que é a personificação de tudo que o Evangelho é; muitos aspectos do Evangelho são um mistério para os incrédulos.
    Por outro lado, o capítulo 3, versículo 13, da Primeira Epístola a Timóteo fala de ter "muita confiança na fé que há em Cristo Jesus". Esta fé é o Evangelho que é personificado por Cristo. Deste modo, este versículo, eficazmente, pode estar dizendo "grande coragem no Evangelho que está em Cristo Jesus". Adicionalmente, pode ser uma referência para a fé que nós recebemos como resultado de termos sido salvos.
    Nós olhamos para todos estes versículos de forma que possamos entender que qualquer fé que tenhamos possamos ajudar de qualquer forma a nossa salvação. Qualquer fé que se relaciona à nossa salvação deve sempre relacionada à fé de Cristo ou para o próprio Cristo. Qualquer fé cristã possui sempre um resultado ou produto do fato que ele foi salvo por causa da fé de Cristo.

Que fé é esta?

    Nós agora retornaremos à pergunta inicial levantada no princípio deste capítulo. Você se lembra da mulher pecadora de Lucas? Que untou os pés de Jesus na casa do fariseu? Em Lucas 7:48 Jesus

    Capítulo 7
201

disse para ela: "Os teus pecados estão perdoados". Naquele instante, Jesus salvou-a ela. Então, logo após, Jesus disse para ela: "A tua fé te salvou".
    Desde que nós aprendemos que a palavra fé palavra se identifica completamente com a fé de Cristo ou com o próprio Cristo, nós podemos entender esta afirmação. Quando nós somos salvos, ficamos totalmente identificados com Cristo. Nós nos tornamos Seu corpo (I Coríntios 12:13) e Ele veio para habitar-nos na pessoa do Espírito Santo. Nós somos Dele e Ele é nosso.
    Portanto, as palavras "tua fé" podem ser somente uma referência a Cristo. "Cristo salvou-a". Realmente o verbo está no pretérito passado, de forma que esta frase deveria ser traduzida: "A fé (Cristo) te salvou”. Agora nós estamos em completa harmonia com o princípio que nossos esforços ou a nossa obra pode dar a mais leve contribuição a nossa salvação. No todo, é a obra completa de Cristo, o nosso Salvador.
    Enquanto estamos olhando para a frase "a tua fé te salvou", é significativo que em cada uma das referências seguintes exatamente a mesma frase: "A fé (Cristo) salvou-a", é usada, embora a nossa tradução inglesa não mostre isto. Estas referências são as seguintes:

Mateus 9:22 e Marcos 5:34. Mulher curada de doença sangüínea. Traduzido como "a tua fé te salvou".

Marcos 10:52. A cura da cegueira de um cego. Traduzido como "a tua fé te salvou".

Lucas 7:50. Salvação de mulher pecadora. Traduzido como "am tua fé te salvou".

Lucas 17:19. A cura de um leproso, entre dez outros curados. Traduzido como "a tua fé te salvou".

Lucas 18:42. A cura de um homem cego (provavelmente, o mesmo homem citado em Marcos 10:52). Traduzido como "a tua fé te salvou".


    Em todos esses exemplos, a frase "a tua fé te salvou" é usada porque a cura da mulher com a doença sangüínea, a cura do leproso

    Capítulo 7
202

e do homem cego são belas ilustrações ou retratos da salvação. Cristo fez toda a obra ao curar as doenças físicas destes indivíduos, e Cristo fez toda a obra para nos curar da doença espiritual terrível pecado.
    Assim, temos certeza absoluta do princípio de que não existe nenhum trabalho ou esforço de qualquer tipo que alguém possa oferecer ou contribuir de qualquer forma para sua salvação. Cristo fez todo o trabalho.


Assim, temos certeza absoluta que o princípio de que não existe nenhum trabalho ou esforço de qualquer tipo que uma pessoa possa oferecer ou contribuir de qualquer forma para sua salvação. Cristo fez todo o trabalho.



Abraão era justificado por obras

    Antes de deixarmos o assunto da fé, nós devemos parar um instante e olhar brevemente alguns versículos da Epístola de Tiago, que tem trazido incômodo a alguns estudantes da Bíblia.
    Na Epístola de Tiago, capítulo 2, versículos 20 a 22, nós lemos:

Mas, ó homem vão, queres tu saber que a fé sem as obras é morta? Porventura o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque? Bem vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada.


    Abraão era justificado por trabalhos. Como isto pode acontecer quando a Bíblia diz, claramente, que os nossos trabalhos podem dar a contribuição mais leve para a nossa salvação? A resposta é prontamente encontrada se nós entendermos que os trabalhos que Abraão realizava não acabava o seu trabalho. Era o trabalho que Cristo fez em prover a sua salvação. Cristo era fiel de forma que Sua fé proveu a salvação, e a fé de Cristo era a obra que Ele

    Capítulo 7
203

apresentou. A fé forjada de Cristo com obras de Cristo, e por Seus trabalhos a Sua fé era perfeita. Toda a ação do Senhor Jesus suportou a ira de Deus para salvar Abraão.
    A prova disto é a fé e trabalhos demonstrados na vida de Abraão, como aquele em que ele obedeceu a Deus, oferecendo o seu filho Isaque em um altar. Em outras palavras, a fé de Abraão era um resultado, de qualquer forma uma causa, para sua a salvação. É por isso que o versículo 23 continuar a dizer:

E cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abraão em Deus, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de Deus.


    Lembre-se: nós aprendemos ao ler que "Abraão acreditou em Deus (isto é, Abraão foi poupado) e (Deus ou a fé de Cristo) foi atribuído à sua justiça".
    Os versículos 24 a 26 continuam:

Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé. E de igual modo Raabe, a meretriz, não foi também justificada pelas obras, quando recolheu os emissários, e os despediu por outro caminho? Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta.


    Nós somos justificados pela fé e obra de Cristo em salvar-nos. Rahab também foi justificada pela obra de Cristo em salvá-la. A prova que ela realmente foi salva era visível em sua ação de receber e proteger os dois espiões israelitas, que compartilharam o Evangelho com ela. Esta demonstração ou evidência de sua fé e bons trabalhos é o resultado do fato que Deus a salvou.
    Deste modo, nós aprendemos isto sempre que a Bíblia fala de fé com relação a ser salvo, nós devemos perceber que o próprio Cristo que é visível. Quando Deus ordenou ao incrédulo para crer no Senhor Jesus Cristo, nenhum deles acreditou. O incrédulo é, espiritualmente, um cadáver, e assim não poderia crer. O único modo que ele manifestará a fé em Cristo é se Deus der a fé a ele.
    Isto é paralelo para a ordem: "É necessário a vós nascer de

    Capítulo 7
204

novo" (João 3:7). Ninguém pode fazer ele mesmo nascido novamente. Deus deve fazer todo o trabalho para nascermos novamente. Igualmente, ninguém pode, por si próprio, obedecer a ordem para crer no Senhor Jesus Cristo. Deus deve fazer todo o trabalho por Jesus Cristo e Sua fé em salvar-nos. Assim, o fato de acreditar em Cristo é completamente um resultado ter sido salvo.
    De modo semelhante, o ímpio recebia a ordem no Velho Testamento para "circuncidai, pois o prepúcio do vosso coração, e não mais endureçais a vossa cerviz" (Deuteronômio 10:16). Por causa da incapacidade total do homem para obedecer este comando, Deus declara em Deuteronômio 30:6:

E o Senhor teu Deus circuncidará o teu coração, e o coração de tua semente, para amares ao Senhor teu Deus com todo o coração, e com toda a tua alma, para que vivas.


    Realmente, nós conhecemos a verdade como o princípio de cada aspecto de sermos salvos é o trabalho de Cristo. Então, alegremente, nós damos a Ele todo o elogio e glória.

Que tal a fé na frente de salvação?

    Existe ainda um problema que deve ser resolvido. Nós aprendemos que a única fé que nos salvará é fé do Cristo. Nós também entendemos que a fé é encontrada na vida de um cristão é um resultado absoluto do fato que ele experimentou a salvação.
    E sobre a fé que é visível na vida de alguém que ainda não está salva. Esta é uma questão muito importante e, assim, ao continuarmos este estudo, nós examinaremos isso cuidadosamente.
    A salvação é um acontecimento muito misterioso e maravilhoso. Como pode ser que no momento que Deus salva uma alma ressuscitada nova em folha, a ela também é concedida a vida eterna. Naquele instante, o cristão tem todos os seus pecados purificados, assim ele nunca mais será ameaçado pelo inferno. Naquele momento, é garantida a ressurreição de seu corpo no dia do juízo final e a recepção da herança, como um herdeiro de articulação com Cristo. Também naquele momento, e eternamente, ele terá um sério desejo de fazer a vontade de Deus e existirá a confiança em Deus.

    Capítulo 7
205


Qualquer fé visível na vida de qualquer um, o ímpio ou a pessoa batizada, é um presente de Deus, mas jamais a causa da salvação.



    O fato de haver a fé e o desejo de obedecer, concedido por Deus à pessoa antes de ela ser salva, faz a salvação até mais misteriosa, provocando alguma confusão. Como um quebra-cabeça, dois princípios devem ser enfatizados e ré-enfatizados. O primeiro é que a fé é um trabalho. Tem fundamento, como é ensinado em Hebreus 11:1. O segundo, flui do primeiro princípio. Isto é, porque a fé é um trabalho, qualquer fé, se fé na frente de salvação ou fé depois de salvação, faz absolutamente nenhuma contribuição para a salvação da pessoa. Como nós aprendemos, a única fé que é operacional em nos trazer para a salvação é a fé de Cristo. Qualquer fé que é visível na vida de qualquer um o ímpio ou a pessoa batizada, é um presente de Deus, mas jamais a causa da salvação.

Nenhum homem pode vir a mim, senão o Pai que o criou

    O que está acontece quando a Bíblia fala de pessoas ímpias com fé? A Bíblia dá algumas pistas sobre o que está acontecendo quando fé é visível na vida de um ímpio? Dois versículos falam muito expressivamente sobre essas questões. A primeira é em João 6:44: "Ninguém pode vir a mim exceto... o Pai que o criou". O segundo é em Filipenses 2:13: "Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade". Toda pessoa está espiritualmente morta antes de nascer novamente, e então, ela é sujeita à danação eterna. Esses versículos nos ensinam ainda que Deus pode ter trabalhado na vida de quem Ele logo salvará, antes de dar àquela pessoa a Sua nova alma ressuscitada. Essa preparação pode acontecer durante alguns momentos, que terminam com a salvação ou podem continuar por semanas ou muitos meses à frente, quando a salvação realmente acontece...
    Deus deu a nós um exemplo de cada situação.
    Quando Jesus foi crucificado, existiam dois ladrões crucificados com Ele que o ultrajaram (Mateus 27:44). Logo antes dos ladrões

    Capítulo 7
206

morrerem, um deles disse para Jesus, em Lucas 23:39-42:

E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós. Respondendo, porém o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez. E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.


    Jesus respondeu com palavras confortantes: "Hoje estarás comigo no Paraíso". Assim, no espaço de algumas horas, nós testemunhamos um homem que vai de uma total descrença à confiança em Deus, e para a realidade da salvação.
    Por outro lado, Deus também nos conta sobre Cornélio, um centurião romano. Em Atos capítulo 10, versículo 2, Deus fala dele:

Piedoso e temente a Deus, com toda a sua casa, o qual fazia muitas esmolas ao povo, e de contínuo orava a Deus.


    Como Atos 10 continua a contar, nós vemos quando Deus ordenou-lhe para buscar Pedro, no que ele obedeceu. De fato, seu empregado disse que ele era "um homem justo, e temente a Deus, e de boa informação sobre todas as nações dos judeus". Certamente, ele deu indícios de ser um homem batizado. Mas ele não estava salvo. A prova disto é Atos 11:13-15. Depois que Cornélio foi salvo, Pedro divulgou para a igreja em Jerusalém a sua salvação. Pedro fala sobre Cornelius em Atos 11:13-15:

E contou-nos como vira em pé um anjo em sua casa, e lhe dissera: Envia varões a Jope, e manda chamar a Simão, que tem por sobrenome Pedro, o qual te dirá palavras com que te salves, tu e toda a tua casa. E, quando comecei a falar, caiu sobre eles o Espírito Santo, como também sobre nós ao princípio.


    A linguagem “o qual te dirá palavras com que te salves”, e o fato que, naquele momento, Pedro falou essas palavras de Cornélio, o Espírito Santo desceu sobre eles, prova de que ele não foi poupado,

    Capítulo 7
207

até que ele entrou na casa de Pedro. A Epístola aos Romanos, capítulo 8, versículo 9, ensina: “se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele”.
    Assim, nós vemos Cornélio como um homem que exibiu uma séria confiança no Deus da Bíblia, e que estava pronto para obedecer a ordem de Deus. Mas ele ainda não estava salvo. Ele podia ter estado nesta condição há muitos meses, ou até anos.
    Isto não é uma situação incomum, como sugerido pelas palavras de Atos 10:34-35:

E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas. Mas que lhe é agradável aquele que, em qualquer nação, o teme e obra o que é justo.


    Claro, o argumento para Deus aceitar um homem que teme a Deus e trabalha com retidão só pode ser os trabalhos desse homem justo. O temor de Deus e os trabalhos de retidão estão na vida da pessoa, porque Deus está preparando e trabalhando dentro dele e o fará de Seu bom prazer. De qualquer forma, eles não são a base, a causa ou o instrumento para a sua salvação. A única base que existe é o fato que Deus colocou em Jesus os pecados do indivíduo que Deus planeja salvar, e a fé de Cristo trouxe salvação para o seu gozo.
    Isto significa que um indivíduo pode exibir fé e bons trabalhos em sua vida e ainda não estar salvo. Também significa que se ele não for salvo, ele não terá vida eterna. Significa, também, que ele não poderia ser salvo? Isto parece ser ensinado pela parábola do semeador. Deus conta a nós em Lucas 8:13:

Nós sabemos que se uma pessoa exibe fé, mas posteriormente cai longe a fé que antes exibia, fé esta dada a ele por Deus.

    Capítulo 7
208

Nós sabemos que se uma pessoa exibe fé, mas posteriormente cai longe a fé que antes exibia, fé esta dada a ela por Deus. Deus é o “autor e consumador da fé” (Hebreus 12:2). Em Filipenses 1:6, nos temos a fiel promessa:

Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo.


    Talvez tenhamos uma compreensão melhor de Hebreus 6:4-9:

Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro. E recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério. Porque a terra que embebe a chuva, que muitas vezes cai sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a bênção de Deus. Ma a que produz espinhos de abrolhos, é reprovada, e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada. Mas de vós, ó amados, esperamos coisas melhores, e coisas que acompanham a salvação, ainda que assim falamos.


    Enquanto estes versos parecem estar falando de alguém que foi salvo, e que se desgarrou, as palavras do versículo 9: "esperamos coisas melhores, e coisas que acompanham a salvação, ainda que assim falamos”, nos asseguram que eles não estão falando de uma pessoa batizada. Nós também sabemos que eles podem estar falando de uma pessoa batizada, pois uma pessoa batizada recebeu a vida eterna, então ele nunca poderia perder a sua salvação.
    Assim, fala-se daqueles que parecem dar muita evidência à salvação, entretanto eles se desgarram. isso indica que eles nunca foram salvos. Indica que qualquer fé ou bons trabalhos era visível em suas vidas, eles não eram o trabalho de Deus, mas o trabalho do indivíduo, que está tentando viver como alguém batizado.

Estes princípios são vistos na salvação dos samaritanos

    Quando nós lermos sobre a salvação dos samaritanos em Atos

    Capítulo 7
209

8, nós vemos fé na vida das pessoas que ilustram ambos os princípios. A obra de Deus na fé desenvolvida em suas vidas e a fé do homem sem a ação de Deus antes de sua salvação. Em Atos 8:12 declara:

Mas como cressem em Filipe, que lhes pregava acerca do reino de Deus, e do nome de Jesus Cristo, se batizavam, tanto homens como mulheres.


    Em Atos 8:17, nós lemos que depois de seu ministério, Pedro e João receberam o Espírito Santo; isto é, eles foram salvos. Isto indicaria que a fé exibida em sua vida antes da salvação está em toda probabilidade de fé dada a eles por Deus.
    Significativamente, porém, um de seu grupo, Simão, o feiticeiro, também cristão e batizado (versículo 13), mas ele não foi salvo (versículos 18-23). Então, nós sabemos que a fé de Simão não era de Deus.
    Outras ilustrações bíblicas poderiam ser citadas. Deus deu ampla evidência, o que não é incomum para um período de tempo antes do momento da salvação, fé e obediência podem ser vistas na vida daqueles que foram salvos.
    Nós estamos aprendendo que esta atividade de Deus na vida de um eleito pode começar a algum tempo antes dele ser salvo. Claro, continuará o resto da vida da pessoa uma vez que ele foi salvo.
    Por outro lado, devia estar muito claro para nós que Deus pode salvar um bebê recém-nascido ou uma pessoa que seja mentalmente incapacitada, sem ter um momento de fé em suas vidas.
    Nós recebemos, também, exemplos daqueles que gostam de Simão, o feiticeiro, ou como que na rocha de Lucas 8:13, que exibe fé durante algum tempo, mas que não é salvo.
    Como nós aprendemos, as pessoas que exibem fé durante algum tempo e então caem longe não recebem a fé de Deus. Filipenses 2:13 não se aplica a eles.
    Todos os homens por natureza exibem fé. A humanidade tem fé que toda noite será seguida de do dia. Ele tem fé que sua esposa grávida dará à luz uma criança. Quase todo homem existe em uma matriz de fé.
    Até na religião, a fé é muito visível. Os budistas acreditam que o seu deus, Buddha, trará certas bênçãos para ele. Essa é a verdade

    Capítulo 7
210

de todo religioso. Deste modo, o indivíduo que não está sendo preparado para Cristo e pelo Pai, Deus não está trabalhando nele e o fará de propósito, pode ainda exibir fé. É uma fé que vem de dentro dele mesmo, mas, definitivamente, não é de Deus. A prova que não é de Deus é que, eventualmente, ele cairá longe de qualquer identificação que teve com o Evangelho verdadeiro. Ele pode acabar sem Evangelho ou ele pode acabar em um evangelho falso.
    Deus não fez que o Apóstolo Paulo em Atos 16 instruísse o carcereiro para crer, isto é, ter fé no Senhor Jesus Cristo a fim de ser salvo? Mas lembre-se: qualquer fé visível na vida do carcereiro não podia, por qualquer motivo, jogar longe sua salvação ou ser um meio ou instrumento para o salvar. Só a fé de Cristo pode salvar. A fé em Cristo que será visível em sua vida, será a evidência que Deus está preparando-o e trabalhando nele, e o fará de bom grado, ou ele será a evidência que Deus por fidelidade do Cristo o salvou
    Realmente, a salvação se torna muito complexa. Quando um indivíduo começar a confiar em Deus e experimentar um desejo crescente para fazer a Sua vontade, uma de três coisas está acontecendo na vida da pessoa. É impossível facilmente para conhecer que é correto enquanto aquela pessoa está interessada. As três possibilidades são:

    1. A fé e a obediência exibidas configuram-se completamente na ação de uma pessoa tentando, por seu próprio esforço, fazer o que ele crê que o identifica com a salvação. Em realidade, não existe nenhuma ação de Deus em sua vida.
    2. A fé e a obediência exibidas são iniciadas por Deus, que trabalha naquela pessoa espiritualmente morta e finalmente a salvação é efetivada.
    3. A fé e obediência exibidas está lá porque Deus já salvou aquela pessoa.

    Isso salienta um fato imediato: é quase impossível saber quando o instante de salvação aconteceu na vida da pessoa que foi salva. Isso se identifica com o que João ensina no capítulo 3, versículos 7 e 8:

Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de

    Capítulo 7
211

novo. O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito Santo.


    A maior parte daqueles que alegam conhecer o dia de sua salvação estão simplesmente recordando o dia que eles aceitaram Cristo. Quando alguém aceitar Cristo, aquele ato não tem nada a ver com salvação verdadeira. A salvação requer que no momento da salvação, ele experimente a ressurreição, e receba a sua alma ressuscitada nova em folha.
    Realmente, se eles estiverem confiando no ato de aceitar Cristo como prova que foram salvos, pode ser uma indicação que eles têm outro programa de salvação além daquele da Bíblia. Anteriormente, aprendemos a verdade agourenta que se nós dependermos até do pedaço mais leve em nosso esforço em sermos salvos, então nós estamos confiando na graça de trabalhos do evangelho. Tal evangelho nos deixará, com certeza, sob da ira de Deus.


A maior parte daqueles que alegam conhecer o dia de sua salvação estão simplesmente recordando o dia que eles aceitaram Cristo. Quando alguém aceitar Cristo, aquele ato não tem nada a ver com salvação verdadeira. A salvação requer que no momento da salvação, ele experimente a ressurreição, e receba a sua alma ressuscitada nova em folha.



    Agora entendemos porque Deus nos diz:: "Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição” (II Pedro 1:10). Isso está de acordo com a repreensão contida em II Coríntios 13:5:

Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados.

    Capítulo 7
212

    Isto nos leva à uma pergunta importante: como então alguém pode saber que, verdadeiramente, foi salvo? Como ele pode saber que seu interesse e confiança na Bíblia não é dele mesmo, e sim a evidência que Deus está trabalhando dentro dele? A evidência que é Deus que trabalha nele é que, eventualmente, no próprio horário de Deus, ele saberá que foi salvo. Por outro lado, se for a fé que é produzida por suas próprias ações, eventualmente ele acabará em um evangelho falso ou ele irá embora para qualquer evangelho.
    Como saber se está verdadeiramente salvo? Nenhuma dúvida é mais importante. Sem uma garantia bíblica correta de nossa salvação, nós estamos arriscando passar a eternidade no inferno. O quão terrível seria! Portanto, nós devíamos testar nós mesmos muito cuidadosa e honestamente, a respeito da nossa salvação. Não existe, absolutamente, nenhum falso valor em nós mesmos ou em outros sobre este assunto.
    A Bíblia ensina em Romanos 8:16:

O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.


    Como podemos saber que o Espírito Santo está testemunhando com nosso espírito a alegre notícia que realmente nós somos salvos?
    A Espada do Espírito é a Palavra de Deus (Efésios 6:17), isto é, o Espírito Santo usa a Bíblia para provocar salvação. Portanto, uma evidência de salvação é um encantar-se nos ensinos da Bíblia, de forma que exista um forte desejo fazer a vontade de Deus, isto é, ser obediente para a Bíblia em ambas as doutrinas e na sua prática. Deus fala disso, repetidamente, no Salmo 119, cujos versículos 10, 11, 15, 16 e 18 são ilustrações que veremos a seguir.

Salmo 119:10: De todo o meu coração te busquei; não me deixes desviar dos teus mandamentos.

Salmo 119:11: Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.

Salmo 119:15: Em teus preceitos meditarei, e olharei para os teus caminhos.

    Capítulo 7
213

Salmo 119:16: Recrear-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra.

Salmo 19:18: Desvenda os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei.


    Quando nos lembrarmos que alguém batizada se tornou um cidadão do reino do Deus, que foi habitado por Deus Espírito Santo, recebeu uma nova alma ressuscitada, com a qual nunca mais pecará novamente, então nós esperaríamos que tal pessoa teria um grande atenção com a Bíblia, que conta a sua salvação, de Seu Salvador, e é o livro de regra do Reino que ele entrou. É por isso que os versículos do Salmo 119 são tão pertinentes para a pergunta se nós somos salvos.
    Nós lemos em I João 2:3-6:

E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade. Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado: nisto conhecemos que estamos nele. Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou.


    Nós, certamente, devíamos saber que o exame próprio relativo à salvação nunca deve ser um tempo de olhar para nós mesmos com óculos cor-de-rosa coloridos. É o momento da verdade em que nós olhamos para nós mesmos, absoluta e honestamente. Se nós não acharmos em outra vida um desejo sério e contínuo para sermos obedientes à Palavra de Deus, na prática e na doutrina, então nós não somos salvos. É muito melhor descobrir este triste fato agora, enquanto nós ainda podemos implorar a Deus por Sua misericórdia, que acordar no Trono do Julgamento, que será muito tarde para a salvação.
    O que eu devo fazer? Suponha que eu acredito que eu esteja confiando em Deus, e tenho um desejo contínuo para fazer a vontade de Deus, de forma que eu encontre a felicidade crescente, porque eu faço o que a Bíblia diz para eu fazer. E ainda assim, às vezes, eu

    Capítulo 7
214

não estou certo que eu estou salvo. O fato maravilhoso é que a hora eu posso ir a Deus e implorar por Sua clemência. Maravilhosamente, se eu for verdadeiramente salvo, nada que eu possa fazer vai colocar em risco a minha salvação. A mim foi dada a vida eterna. Nós lemos em João 10:27-29:

As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem. E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebata-las da mão de meu Pai.


    Manter essas belas promessas visíveis, quando pedirmos a Deus por Sua misericórdia, porque nossa fé é fraca, nunca pode nos prejudicar. Realmente, a nossa fé fraca pode indicar se nós ainda não estamos salvos. É sempre justo orar para Deus por Sua clemência, quando nós ainda não estamos salvos. Temos também o direito de, igualmente, orar para Deus por Sua compaixão, embora nós já estejamos salvos.

Conclusão

    Nós iniciamos este estudo com o desejo de examinar o significado do trabalho denominado "batismo". Como conseqüência, nós podemos aprender muita coisa sobre a salvação maravilhosa planejada por Deus, oferecida às pessoas deste mundo.
    Nós aprendemos a importância suprema do fato que nós devemos perceber que a nossa salvação é, totalmente, a obra de Deus. Nós éramos lembrados que nós podemos fazer a contribuição mais leve em direção a nossa salvação. De fato, nós estávamos solenemente advertidos que se nós tivermos até a confiança mais leve que uma ação nossa, podemos prover ou satisfazer até o requisito mais leve para nossa salvação, se com aquela ação nós provamos que não estamos sob a graça de Deus.
    Nós aprendemos que a essência do padecimento de Cristo era o fato que Ele tomou a si todo o pecado de todas as pessoas que Ele planejou salvar. Além disso, Ele ficou diante do Trono do Julgamento de Deus, culpado com todos aqueles pecados. Deus derramou sobre

    Conclusão
215

a Sua ira sobre Ele, de forma que era equivalente para todos nós que Ele veio para salvar eternidade de gastos no inferno.
    Era como se cada um de nós Ele veio para salvar estivesse lá e recebesse aquele castigo terrível. Nós aprendemos que não foi o Seu sangue que provocou a salvação.
    Assim, também, o derramamento de sangue,era uma figura de linguagem, que aponta para o sofrimento duradouro da segunda morte, a condenação eterna.
    Nós aprendemos que a morte física de Jesus não era punição para o pecado. Foi o bastante o que Ele sofreu: o equivalente à condenação eterna, em nome daqueles que Ele veio para salvar.
    Assim, também, Seu enterro e, acima de tudo, a Sua ressurreição, são provas que Ele pagou completamente a pena para os pecados que Ele agüenta da humanidade.
    Nós aprendemos que o inferno é, em primeiro lugar, a condição de estar sob a ira de Deus. Depois do fim do mundo também será o lugar onde todos os ímpios devem passar a eternidade: sob a ira de Deus.
    Nós também aprendemos naquele momento em que nós somos salvos, recebemos uma alma ressuscitada nova em folha. Com essa nova alma, nós nunca mais desejamos pecar. Junto com o fato que no instante de Deus de salvação Ele mesmo habita em nós para selar ou garantir a conclusão de nossa salvação, isto significa que sempre existirá na vida do cristão um desejo sério de fazer a vontade de Deus.
    Nós aprendemos que a palavra "batismo" sempre significa lavando ou limpando ou purificando. Nunca é entendida como imersão. Nós também aprendemos isto sempre que nós vemos a palavra "batismo", a menos que o contexto claramente ensine sobre o batismo da água. Isto é lavar longe de nossos pecados que também é chamado batismo com o Espírito Santo.
    Nós também aprendemos que o batismo da água, assim como a circuncisão física, é um sinal ou uma sombra, e não existe nenhuma graça divina no ato propriamente dito. A graça é a purificação que Deus apresenta quando um indivíduo é salvo. O batismo e a circuncisão física são sinais ou sombras, que apontam para a ação de Deus porque Ele o salva.

    Conclusão
216

    Nós aprendemos que existe um programa de salvação na Bíblia. Os cristãos do Velho Testamento eram exatamente salvos., assim como os cristãos do Novo Testamento. A única diferença é o fato que no momento de salvação, os cristãos do Novo Testamento são qualificados e enviados para transmitir o Evangelho para o mundo. Assim, o uso da frase do Novo Testamento "batizado com o Espírito Santo", não só fala de um indivíduo tendo seus pecados purificados, mas também que ele participará do trabalho do Espírito Santo, sendo uma testemunha para o mundo.
    Nós também aprendemos que no Velho Testamento a circuncisão física era um sinal para ser colocado em todos os machos de uma família, na qual um pai era batizado, e o sinal de batismo da água era para ser colocado em todos os membros de uma família do Novo Testamento, quando um pai é salvo. O modo de batizar é borrifando a água.
    Concluindo o nosso estudo, aprendemos que a fé é um trabalho. Nós aprendemos que um nome de Cristo é Fiel, isto é, Ele é a essência da fé. Portanto, qualquer referência na Bíblia para fé e salvação, deve sempre ser entendida como uma referência para a fé de Cristo ou para o próprio Cristo.
    Qualquer fé que é encontrada em nossa vida antes ou depois de sermos salvos, deve sempre ser entendido como um resultado ou produto da obra de Cristo em nossa vida. Sob nenhuma circunstância, a fé serve como um meio ou causa ou instrumento para provocar nossa salvação. Nós devemos entender que Deus não exige, absolutamente, nenhuma pré-condição em nossa vida antes Dele poder nos salvar.
    Pode ser que este estudo nos ajude a glorificar a Deus pelo Seu tremendo presente, um presente que nenhuma pessoa merece. Para Cristo, toda a honra e toda a glória!


ÍNDICE