O Batismo
A purificação dos nossos pecados





    Capítulo 3
68

Capítulo 3


    Nós aprendemos que a palavra “batizar” significa lavar, limpar, purificar. Essas palavras são sinônimas de muitas afirmações bíblicas que associam lavagem ou limpeza com a purificação dos nossos pecados ao sermos salvos. Ezequiel, capítulo 36, versículo 25, diz isto muito bem:

Então espalharei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei.


    Nós também aprendemos que, geralmente, ao lermos a palavra “batizar” na Bíblia, o significado é de purificação dos nossos pecados. Normalmente, não significa batismo com água; a menos que, no contexto, a palavra faça referência ao batismo com água, entenderemos que se refere à proteção do batismo com água.


A menos que, no contexto, a palavra faça referência ao batismo com água, entenderemos que se refere à proteção do batismo com água.



    Há outras questões que devemos encarar. O que dizer sobre o batismo com água? O que a Bíblia tem a dizer sobre o batismo com água? Quem deveria ser batizado? O batismo é uma condição para a salvação? O batismo é o início ou a garantia da salvação?

O batismo com água é uma exigência para a salvação?

    A primeira questão a ser apresentada é: o batismo com água é, em qualquer caso, um limite para a salvação? Esta pergunta é válida porque Marcos, no capítulo 16, versículo 16, ensina:

Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será

    Capítulo 3
69

condenado.


    E em Atos, capítulo 2, versículo 38, Deus afirma:

E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo.


    Em João, capítulo 3, versículo 5, nós lemos:

Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.


    Parece estar absolutamente claro que o batismo com água deve ser vivido como uma fase do processo de salvação.
    Mas o batismo com água é uma tarefa que nós fazemos. E a Bíblia alerta que a salvação é unicamente um trabalho de Deus. No capítulo 2, versículos 8 a 10, da Epístola aos Efésios, lê-se:

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie. Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.


Um só batismo

    A solução para essas questões aparece quando voltamos aos primeiros fundamentos. A Bíblia insiste que existe um batismo (Efésios 4:5). Como entender essa afirmativa? Quando percebemos que pode existir alguma coisa que seja real e essencial, mas que também possa lançar dúvidas sobre o assunto. Anteriormente, usamos a analogia de uma árvore. Uma árvore é algo real e essencial. Uma árvore pode lançar dúvidas inteiramente identificáveis entre si, mas não existe substância em si mesma. Assim, também, o batismo (purificação dos pecados) desempenhado por

    Capítulo 3
70

Deus é essencial e real. Mas o batismo com água é somente uma sombra da ação de Deus. O batismo com água é identificado com o batismo (purificação) com o Espírito, tanto que só existe um batismo. O batismo com água é a sombra, portanto ele não tem substância em si mesmo.
    Anteriormente, em nosso estudo, aprendemos que as purificações cerimoniais do Velho Testamento eram sombras de purificação dos pecados, que consumadas com a vinda do Messias. Portanto, o batismo com água é uma sombra da purificação, a qual está consumada pela punição de Cristo pelos nossos pecados. A sombra, o batismo com água, é, portanto, um sinal que aponta para a purificação dos pecados para aquele que será salvo; ou assinala a esperança de que, algum dia, no futuro, o indivíduo batizado será salvo. Não há substância no ato do batismo com água. O batismo com água era uma ordem cerimonial na era da igreja, no Novo Testamento.


Mas o batismo com água é a sombra, assim ele não tem substância em si mesmo.



    Conseqüentemente, quando o Novo Testamento usa a palavra “batismo”, esta deve ser entendida como a ação de Deus para a purificação dos nossos pecados. Assim, no capítulo 16, versículo 16, Marcos está afirmando que há dois aspectos que dão evidências da salvação: Deus concedeu-nos a fé com a qual confiamos em Deus como o nosso Senhor e Salvador; e os nossos pecados foram purificados; isto é, fomos batizados com o Espírito Santo.
    Na Primeira Epístola de Pedro – capítulo 3, versículo 21 -, encontramos uma utilização interessante da palavra “batismo”:

Que também, como uma verdadeira figura, agora vos salva, batismo, não do despojamento da imundícia da carne, mas da indagação de uma boa consciência para com Deus, pela ressurreição de Jesus Cristo.

    Capítulo 3
71

    De fato, o batismo em questão deve ser espiritual, pois sabemos que o batismo com água nunca pode salvar. Esse versículo explica que o batismo espiritual não expulsa a imundície da carne, assim como faz a sombra do batismo com água. Antes, ela nos dá a resposta de uma boa consciência em direção a Deus; isto é, a nossa consciência não mais nos acusa de estar sob a ira de Deus, pois os nossos pecados foram purificados. A prova disso reside no fato de que Cristo ressuscitou, o que prova, em seguida, que Ele pagou totalmente pelos pecados daqueles cujos pecados foram purificados.
    Do mesmo modo, Atos, capítulo 2, versículo 38, indica que estamos arrependidos e batizados. O arrependimento é um presente de Deus (Atos 5:31: “Deus com a sua dextra o elevou a Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e remissão dos pecados”). O batismo para a remissão dos nossos pecados é um ato de Deus assim como Ele nos batiza com o Espírito Santo; isto é, Ele nos purifica dos nossos pecados.
    Em João, capítulo 3, Jesus afirma que nascemos novamente (a melhor tradução é “nascer de cima”). Ele declara que nasceremos da água e do Espírito. A água não pode ser uma referência à água física do batismo pois não há substância na salvação neste ato. A Bíblia nos mostra que esta é a água do Evangelho. Jesus disse à mulher samaritana, como lemos em João, capítulo 4, versículo 14:

Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte dagua que salte para a vida eterna.


    Ainda em João, capítulo 7, versículos 37 e 38:

E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios dagua viva correrão do seu ventre.


    Essa água que bebemos e escorre do cristão é o Evangelho como se fosse aplicado pelo Espírito Santo à vida do indivíduo que Ele está salvando. Lembre-se que a fé é pelo ouvir e o ouvir pela

    Capítulo 3
72

    Palavra de Deus (Romanos 10:17). A Palavra de Deus é o Evangelho o qual devemos ouvir como uma exigência para a salvação.
    Em outras palavras, Deus está afirmando – João 3:5 – que nos salvaremos quando tivermos ouvido o Evangelho e ele for adotado em nossos corações pela ação do Espírito Santo.
    Assim, sob nenhuma circunstância, devemos estimular a idéia de que o batismo pela água seja, de qualquer maneira, uma condição para a salvação. Em Atos, capítulo 10, nós lemos sobre a conversão de Cornélio. Após ser convertido, ele foi batizado na água.


Essa água que bebemos e escorre do cristão é o Evangelho como se fosse aplicado pelo Espírito Santo à vida do indivíduo que Ele está salvando.



O batismo de Saulo de Tarso

    Já fizemos referência em nosso estudo à salvação de Saulo de Tarso, que se tornou Paulo de Tarso. Após ele ter sido detido por Deus, ao se dirigir a Damasco, ele ficou cego por três dias durante os quais ele orou todo o tempo. Um devoto chamado Ananias foi enviado a ele e declarou em Atos, capítulo 9, versículos 16 a 18:

E eu lhe mostrarei quanto deve padecer pelo meu nome. E Ananias foi, e entrou na casa, e, impondo-lhe as mãos, disse: Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que te apareceu no caminho por onde vinhas, me enviou, para que tornes a ver e sejas cheio do Espírito Santo. E logo lhe caíram dos olhos como que umas escamas, e recuperou a vista; e, levantando-se, foi batizado.


    Esses versículos insistem que nós batizados para purificar os nossos pecados? Na verdade, sim, mas o batismo com água não pode purificar pecados. Somente o batismo pelo Espírito Santo, a purificação espiritual realizada por Deus, pode purificar pecados. Portanto, a Saul foi dito que ele deve ser batizado pelo Espírito

    Capítulo 3
73

Santo, para que os seus pecados possam ser purificados. Em Tito, capítulo 3, versículo 5, lê-se:

Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo.


    Em Efésios, capítulo 5, versículos 26 e 27, Deus afirma:

Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra. Para a apresentar a si mesmo igreja vitoriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.


    Somente Deus pode purificar os pecados, para que possa aplicar a água do Mundo em nossas vidas.


Isso enfatiza o preceito de que ao lermos na Bíblia a palavra “batizar”, devemos primeiramente pensa-la como uma palavra que se identifica com a ação de Deus em purificar os nossos pecados.



    Isso enfatiza o preceito de que ao lermos na Bíblia a palavra “batizar”, devemos primeiramente pensá-la como uma palavra que se identifica com a ação de Deus em purificar os nossos pecados. Geralmente, esse preceito vai de encontro ao que pensamos. Freqüentemente, ao lermos na Bíblia a palavra “batizar”, pensamos no batismo com água.
    De fato, há várias referências ao batismo físico com água. Nós sabemos do batismo de João Batista e dos discípulos, do eunuco etíope sendo batizado por Felipe; a família de Cornélio batizada por Pedro; os samaritanos de Atos capítulo 8 por Felipe; o carcereiro por Felipe e todos eles por Paulo; Lídia e a sua família por Paulo; os doze efésios de Atos capítulo 19 por Paulo; Crespo e Caio e a

    Capítulo 3
74

família de Estefani por Paulo.
    Entretanto, quando Deus ordena aos incrédulos para serem batizados, tal como ele faz em Marcos, capítulo 16, versículo 16, e em Atos, capítulo 2, versículo 38, a ordem se torna sinônimo da ordem de salvar, e somente Deus pode fazê-lo. Somente Ele pode purificar os nossos pecados. A ordem para ser batizado no Espírito é uma ação permitida somente a Deus.
    Do mesmo modo, entendemos o que se lê na Primeira Epístola aos Coríntios, capítulo 12, versículo 13:

Pois todos nós fomos batizados em um Espírito formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.


    Nós somos batizados, isto é, purificados dos nossos pecados no momento em que somos salvos. A limpeza dos nossos pecados nos coloca no corpo dos cristãos, os quais Deus também fala como o corpo de Cristo.

Batizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo

    A autoridade de Mateus, capítulo 28, versículo 19, é especialmente interessante, porque nela Deus ordena a todos os cristãos para ensina e batizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. O texto do versículo afirma:

Portanto ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo.


    O batismo com água tem o mesmo objetivo que o batismo no Espírito Santo? O trecho paralelo de Marcos, capítulo 16, versículos 15 e 16 nos ajuda a saber:

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda a criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.

    Capítulo 3
75

    O doutrinamento e a pregação do Evangelho estão por toda parte do planeta, tanto que sempre que possível ouviremos o Evangelho. Aqueles que ouvirem, haverá alguns que acreditarão e serão batizados. O resultado da ação de Deus em suas vidas é o fato de que eles têm acreditado e se batizado (os seus pecados foram purificados). Então, a autoridade de Mateus no capítulo 28, versículo 9 manifesta, efetivamente, que ensinamos a Palavra de Deus para que através dela muitos sejam batizados (isto é, que os seus pecados sejam purificados).
    No mais, esse importante versículo ensina que aqueles que se salvaram são purificados (batizados) em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Deus está ensinando que a salvação nos leva à união íntima com Deus, em todos os Seus aspectos. Somente quando alcançarmos o paraíso, entenderemos o total significado desse versículo.
    Então, nós devemos entender que o batismo com água não está em questão, exceto como uma sombra da ação que Deus desempenhou ou que, esperançosamente, executará. Seria fácil entender que nenhuma ação física, tal como o batismo com água poderá trazer alguém em uma relação íntima com a nossa divindade tríplice.


Seria fácil entender que nenhuma ação física, tal como o batismo com água poderá trazer alguém em uma relação íntima com a nossa tríplice divindade.



Como aplicar o batismo com água?

    A próxima questão poderia ser encarada em consideração ao método do batismo com água.O batismo poderia ser realizado por aspersão, imersão ou por derramamento?
    Alguém poderia pensar, em virtude da prática popular da imersão utilizada por diversas igrejas, que a Bíblia deve ensinar claramente que a imersão é o método bíblico. Mas ao pesquisarmos a Bíblia

    Capítulo 3
76

com cuidado, não descobrimos nada que fale sobre a imersão. Muito menos exemplo de cristãos sendo mergulhados. Nem a idéia de imersão associada com salvação e a purificação dos nossos pecados.
    Por que então se insinua tanto a imersão levando muitos cristãos a pregar a sua prática? No capítulo 1, nós mostramos que a palavra grega bapto não ensina de maneira alguma que o batismo significa imersão (página 2). Duas citações são especialmente usadas para ensinar a idéia de imersão. A primeira é relacionada com o batismo de Jesus. Ele mergulhou no Rio Jordão?


Nem a idéia de imersão associada com salvação e a purificação dos nossos pecados.



    João Batista batiza no Rio Jordão por causa da água em excesso nele existente? A Bíblia fala do batismo de Jesus em Mateus, capítulo 3, versículo 16:

E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele.


    Sem sombra de dúvidas, esse versículo ensina que Jesus saiu da água, e, portanto, Ele deve ter sido mergulhado na água?
    Esse versículo não fala em imersão, e sim que Ele saiu logo da água. Como devemos entender essa frase? A norma bíblica é que devemos buscar ajuda da Bíblia. Fazendo isso, reportamo-nos a Atos, capítulo 8, versículos 38 e 39, onde se lê como a Bíblia descreve o batismo com água do eunuco etíope:

E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou. E, quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe, e não o viu mais o eunuco; e, jubiloso, continuou o seu caminho.

    Capítulo 3
77

    Observe que o versículo 39 fala de sair da água, que é a mesma frase que descreve Jesus saindo da água. O que o versículo 38 diz? Ele diz: “e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco”. Ambos, Felipe e o eunuco praticaram a mesma ação. Ambos saíram da água. Para evitar equívocos, acrescente-se a ênfase: ambos, Felipe e o eunuco. Portanto, se entrar na água implica em imersão, então devemos concluir que Felipe mergulhou ao mesmo tempo em que fez o mesmo com o eunuco. Tal conclusão, certamente, não faz sentido. Deus está simplesmente ensinando que havia um corpo na água, e que ambos - Felipe e o eunuco -, entraram na água . Lá, eles permaneceram ajoelhados (o quão fundo não importa), e Felipe batizou o eunuco. Mais adiante em nosso estudo, veremos que a Bíblia sugere a forma de batismo, e não será por imersão.


Portanto, se entrar na água implica em imersão, então devemos concluir que Felipe mergulhou ao mesmo tempo em que também mergulhou com o eunuco.



    Para reforçar o doutrinamento que entrar na água não quer dizer imersão, a próxima frase de Atos capítulo 8, versículo 39, afirma: “E quando eles saíram da água”. Freqüentemente, Deus usa o número três para simbolizar o propósito de Deus. O número três enfatiza – ambos entraram na água, ambos Felipe e o eunuco, e eles saíram da água, ressaltando que é intenção de Deus que não entendamos que a imersão era a forma de batismo nesse evento histórico. Evidentemente, a expressão saindo da água não pode significar batismo por imersão. Visto que Jesus também saiu da água após ser batizado, não devemos ver sentido de imersão em Seu batismo.
    Você deve se lembrar que anteriormente nós aprendemos que Jesus foi cerimonialmente lavado antes que pudesse realizar a Sua missão de Sumo Sacerdote. Ele não era apenas o Cordeiro que seria oferecido, como também o Sumo Sacerdote. Lembre-se de que os sacerdotes foram cerimonialmente lavados antes de ministrar no

    Capítulo 3
78

altar. Em Êxodo, capítulo 30, versículos 18 a 21, lê-se:

Farás também uma pia de cobre com a sua base de cobre, para lavar; e a porás entre a tenda da congregação e o altar, e deitarás água nela. E Arão e seus filhos nela lavarão as suas mãos e os seus pés. Quando entrarem na tenda da congregação, lavar-se-ão com água, para que não morram, ou quando se chegarem ao altar para ministrar, para acender a oferta queimada ao Senhor. Lavarão pois as suas mãos e os seus pés, para que não morram; e isto lhes será por estatuto perpétuo a ele e à sua semente nas suas gerações”.


    As mãos e os pés dos sacerdotes foram lavados. Aquela purificação foi a experiência vivida por Jesus antes de ministrar no altar do sacrifício. Portanto, de maneira alguma poderíamos esperar que Jesus fosse mergulhado quando foi batizado.

A imersão é ensinada em Romanos capítulo 6?

    Na Epístola aos Romanos, capítulo 6, versículos 3 e 4, surge outro versículo bíblico citando a imersão:

Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.


    Muitos pregadores enfatizam que quando alguém é mergulhado na água, todos os seus pecados vão com ele. Então, ao sair da água, os seus pecados são deixados para trás, e ele fica livre deles. Esse versículo é freqüentemente usado para sustentar tal doutrina.
    Mas, como aprendemos anteriormente neste estudo, esses versículos não estão se referindo ao batismo com água, e sim à purificação dos nossos pecados, que acontece quando nos salvamos. O sepultamento não é identificado com a imersão. O sepultado se identifica com a morte. Ele é a prova que a morte aconteceu. Nós

    Capítulo 3
79

estamos purificados dos nossos pecados porque Cristo, em Sua morte, tomou-os para si mesmo. Para libertar-se desses pecados, Ele teve de pagar a punição estabelecida pela lei para os pecados. Esta punição não era a imersão, e sim a segunda morte, a eterna condenação. A punição tinha que ser igual ou equivalente à punição por todos os pecados daqueles que Ele veio salvar. Portanto, foi como se todos nós a quem Ele veio salvar estivéssemos verdadeiramente vivendo a segunda morte. Nós fomos purificados dos nossos pecados porque nós, em princípio (Cristo foi o nosso substituto), vivenciamos a morte que Cristo suportou. Deste modo, a frase “sepultados com ele pelo batismo na morte”, ensina que fomos purificados dos nossos pecados por sermos completa e perfeitamente identificados com Jesus quando Ele sofreu a segunda morte, a condenação eterna, em nosso favor. A idéia de entrar na água com os nossos pecados e sair da água sem os nossos pecados é estranha à Bíblia. Quando Deus usa a palavra batismo para significar limpeza dos nossos pecados, está sempre expressando a idéia de purificação.


A punição tinha que ser igual ou equivalente à punição por todos os pecados daqueles que Ele veio salvar.



    Assim, o capítulo 6 versículos 3 e 4 da Epístola aos Romanos não está, de forma alguma, doutrinando a imersão. De fato, a imersão nunca é usada na Bíblia como um sinônimo para a salvação. Por outro lado, a palavra batismo, que significa purificação, possui diversos sinônimos na Bíblia que descrevem a salvação. Limpeza, pureza, expiação e purificação são alguns dos sinônimos que, freqüentemente, são usados para descrever a salvação.

Qual é o método bíblico do batismo com água?

    Se a imersão não é ensinada como uma forma bíblica de batismo, o que mais a Bíblia oferecer em relação ao método bíblico de

    Capítulo 3
80

batismo? É verdade, como já vimos anteriormente, que o cerimonial de purificação do Velho Testamento incluiu a limpeza das mãos, dos pés e das roupas, o banho do corpo e a aspersão com água. Todas elas eram cerimônias do Velho Testamento que apontavam para a purificação dos nossos pecados através do derramamento de sangue com a vinda do Messias. Existe alguma coisa na Bíblia que aponte, especificamente, ao batismo no Novo Testamento? Nós já aprendemos que o batismo de Jesus e o batismo do eunuco etíope não nos deram pistas em relação à forma de batismo.
    Entretanto, o batismo do eunuco nos dá uma pista. Ela não é encontrada na linguagem descritiva do batismo físico, mas, antes, ela é encontrada nos versículos da Bíblia que ele estava lendo. Em Atos, capítulo 8, versículos 32 e 33, mostra-se claramente que ele estava lendo o capítulo 53 de Isaías, que descreve o Messias que estava por vir. Felipe estava explicando esse trecho para o eunuco.
    O prefácio do capítulo 53 de Isaías 53 está no capítulo 52 do mesmo apóstolo, começando, especificamente, com o versículo 7, prosseguindo com o texto dos versículos 13 e 15, que são parte integral da descrição do Messias que estava para chegar. Observe a linguagem de Isaías no capítulo 52, versículos 13 a 15:

Eis que o meu servo operará com prudência; será engrandecido, e elevado, e mui sublime. Como pasmaram muitos à vista dele, pois o seu parecer estava tão desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua figura mais do que a dos outros filhos dos homens. Assim borrifará muitas nações, e os reis fecharão as suas bocas por causa dele; porque aquilo que não lhes foi anunciado verão, e aquilo que eles não ouviram entenderão.


    Esses versículos dão a pista para se saber porque o eunuco desejou ser batizado e o método pelo qual ele foi batizado. O versículo 15 afirma: “Assim borrifará muitas nações...”. Podemos imaginar as dúvidas do eunuco a respeito dessa frase. Imaginamos, também, como Felipe lhe respondeu usando as Escrituras. Certamente, ele teria usado as mesmas Escrituras que nós usamos, comparando uma com a outra. Ezequiel, no capítulo 36, versículos

    Capítulo 3
81

24 a 27, promete:

E vos tomarei dentre as nações, e vos congregarei de todos os países, e vos trarei para a vossa terra. Então espalharei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei. E vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne, e vos darei um coração de carne. E porei dentro de vós o meu espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis.


    Observe como Deus usa a palavra “borrifar”. “Então espalharei água pura sobre vós”. A água clara é o Evangelho que Ele aplica em nossas vidas quando os nossos pecados são purificados. Quando os nossos pecados são purificados, Deus nos dá um espírito novo. Isso concorda com a afirmação de Jesus: “Necessário vos é nascer de novo” (João 3:7). Quando nos tornamos salvo, nossos pecados são purificados, e a nós é dado uma alma nova ressuscitada ou um espírito. Ademais, Ezequiel, no capítulo 36, versículo 27, ensina que o Espírito de Deus habita em nós: “E porei dentro de vós o meu espírito”.


Portanto, o plano de salvação que envolvia todas as nações do mundo é citado em Isaías, capítulo 52, versículo 15, assim borrifará diversas nações pois isso significa que as pessoas de muitas nações têm sido borrifadas com o Evangelho, para que elas pudessem ser purificadas dos seus pecados.



    Portanto, o plano de salvação que envolvia todas as nações do mundo é citado em Isaías, capítulo 52, versículo 15 - assim borrifará diversas nações pois isso significa que as pessoas de muitas nações

    Capítulo 3
82

têm sido borrifadas (lavadas) com o Evangelho, para que elas pudessem ser purificadas dos seus pecados. Muitas nações têm falado sobre esse fato, que está definitivamente relacionado à era do Novo Testamento, após a explosão do Evangelho, tal como registrado em Atos.
    O eunuco etíope, ao receber essa explicação de Felipe, também quis receber o sinal exterior da salvação, que é o batismo com água. Então, a implicação é tão forte que após Felipe e o eunuco entrarem na água, Felipe borrifou água nele, como a sombra batismal a qual, esperançosamente, havia ocorrido no coração do eunuco.
    Um trecho fundamental que relaciona a aspersão com a salvação está no Livro de Números, capítulo 8, versículos 5 a 7:

E falou o Senhor a Moisés, dizendo: Toma os levitas do meio dos filhos de Israel, e purifica-os. E assim lhes farás, para os purificar: esparge sobre eles a água da expiação; e sobre toda a sua carne farão passar a navalha, e lavarão os seus vestidos, e se purificarão.


    E continua no versículo 11:

E Arão moverá os levitas por oferta de movimento perante o Senhor pelos filhos de Israel; e serão para servirem no ministério do Senhor.


    Os versículos 14 a 18 declaram:

E separarás os levitas do meio dos filhos de Israel, para que os levitas meus sejam. E depois os levitas entrarão para fazerem o serviço da tenda da congregação; e tu os purificarás, e por oferta de movimento os moverás. Porquanto eles do meio dos filhos de Israel, me são dados; em lugar de todo aquele que abre a madre, do primogênito de cada um dos filhos de Israel, para mim os tenho tomado. Porque meu é todo o primogênito entre os filhos de Israel, entre os homens e entre os animais; no dia em que, na terra do Egito, feri a todo o primogênito, os santifiquei para mim. E tomei os levitas em lugar de todo o

    Capítulo 3
83

primogênito entre os filhos de Israel.


    Essa passagem aponta, belamente, para Cristo, que era simbolizado pelos Levitas. Nós, que nos salvamos, somos simbolizados pelo primogênito. Jesus, que era simbolizado pelos Levitas, foi dado como oferenda em benefício do primogênito (aqueles que Ele veio salvar). Nós, os cristãos, tivemos os nossos pecados purificados por Cristo que deu a Sua vida por nós. Ele foi purificado (batizado) suportando a ira de Deus. A cerimônia, apontada como purificação espiritual foi borrifada com água, possui um significado especial (Números 8:7).


A cerimônia, apontada como purificação espiritual foi borrifada com água, possui um significado especial (Números 8:7).



    Assim, nós somos, absolutamente, determinados por Deus para batizar à maneira do Novo Testamento do batismo com água.

Sumário

    Resumindo o que foi visto sobre o método pelo qual o batismo com água deva ser realizado, relacionamos os seguintes princípios:
·   imergir (mergulhar na água) ou submergir (sair da água), nunca é usado de maneira a ser relacionado com o batismo;
·   purificar ou limpar é o foco da salvação e, por isso, poderia ser o foco de concentração da cerimônia do batismo com água, concordando, assim, com o significado da palavra “batismo”,que é purificação;
·   os símbolos de purificação do Velho Testamento foram borrifados ou purificados; a purificação pode incluir partes do corpo de uma pessoa ou o corpo inteiro;
·   a aspersão aponta, especificamente, para a cerimônia de purificação do Novo Testamento ambos em Ezequiel capítulo 36, versículo 25 e Isaías, capítulo 52. É, então, o método mais desejável

    Capítulo 3
84

para o batismo com água.
    Agora nós estamos prontos para examinar algumas questões restantes relacionadas ao batismo com água. Quem é batizado com água? Nós estamos absolutamente certos de não existir uma graça espiritual no ato do batismo com água? Estas e outras questões serão examinadas no próximo capítulo.
    Observe como Deus usa a palavra “borrifar”. “Então espalharei água pura sobre vós”. A água clara é o Evangelho que Ele aplica em nossas vidas quando os nossos pecados são purificados. Quando os nossos pecados são purificados, Deus nos dá um espírito novo. Isso concorda com a afirmação de Jesus: “Necessário vos é nascer de novo” (João 3:7). Quando nos tornamos salvo, nossos pecados são purificados, e a nós é dado uma alma nova ressuscitada ou um espírito. Ademais, Ezequiel, no capítulo 36, versículo 27, ensina que o Espírito de Deus habita em nós: “E porei dentro de vós o meu espírito”.


Portanto, o plano de salvação que envolvia todas as nações do mundo é citado em Isaías, capítulo 52, versículo 15, assim borrifará diversas nações pois isso significa que as pessoas de muitas nações têm sido borrifadas com o Evangelho, para que elas pudessem ser purificadas dos seus pecados.



    Portanto, o plano de salvação que envolvia todas as nações do mundo é citado em Isaías, capítulo 52, versículo 15 - assim borrifará diversas nações pois isso significa que as pessoas de muitas nações têm sido borrifadas (lavadas) com o Evangelho, para que elas pudessem ser purificadas dos seus pecados. Muitas nações têm falado sobre esse fato, que está definitivamente relacionado à era do Novo Testamento, após a explosão do Evangelho, tal como registrado em Atos.
    O eunuco etíope, ao receber essa explicação de Felipe, também

    Capítulo 3
85

quis receber o sinal exterior da salvação, que é o batismo com água. Então, a implicação é tão forte que após Felipe e o eunuco entrarem na água, Felipe borrifou água nele, como a sombra batismal a qual, esperançosamente, havia ocorrido no coração do eunuco.
    Um trecho fundamental que relaciona a aspersão com a salvação está no Livro de Números, capítulo 8, versículos 5 a 7:

E falou o Senhor a Moisés, dizendo: Toma os levitas do meio dos filhos de Israel, e purifica-os. E assim lhes farás, para os purificar: esparge sobre eles a água da expiação; e sobre toda a sua carne farão passar a navalha, e lavarão os seus vestidos, e se purificarão.


    E continua no versículo 11:

E Arão moverá os levitas por oferta de movimento perante o Senhor pelos filhos de Israel; e serão para servirem no ministério do Senhor.


    Os versículos 14 a 18 declaram:

E separarás os levitas do meio dos filhos de Israel, para que os levitas meus sejam. E depois os levitas entrarão para fazerem o serviço da tenda da congregação; e tu os purificarás, e por oferta de movimento os moverás. Porquanto eles do meio dos filhos de Israel, me são dados; em lugar de todo aquele que abre a madre, do primogênito de cada um dos filhos de Israel, para mim os tenho tomado. Porque meu é todo o primogênito entre os filhos de Israel, entre os homens e entre os animais; no dia em que, na terra do Egito, feri a todo o primogênito, os santifiquei para mim. E tomei os levitas em lugar de todo o primogênito entre os filhos de Israel.


    Essa passagem aponta, belamente, para Cristo, que era simbolizado pelos Levitas. Nós, que nos salvamos, somos simbolizados pelo primogênito. Jesus, que era simbolizado pelos Levitas, foi dado como oferenda em benefício do primogênito

    Capítulo 3
86

(aqueles que Ele veio salvar). Nós, os cristãos, tivemos os nossos pecados purificados por Cristo que deu a Sua vida por nós. Ele foi purificado (batizado) suportando a ira de Deus.
    A cerimônia, apontada como purificação espiritual foi borrifada com água, possui um significado especial (Números 8:7).


A cerimônia, apontada como purificação espiritual foi borrifada com água, possui um significado especial (Números 8:7).



    Assim, nós somos, absolutamente, determinados por Deus para batizar à maneira do Novo Testamento do batismo com água.


CAPÍTULO 4